Enseadas - O fundo das baías, lagos, lagoas, praias e mar aberto do Rio de Janeiro

Página 5 de 14 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 9 ... 14  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Emilie - Luiz Filippi, Cláudia, Guille, Natanael, Vincent, Terry

Mensagem  Emilie Blanc em Sex Fev 21, 2014 11:10 pm

Emilie fica tensa, e acompanha atentamente a reação de Luiz Filippi à trágica notícia. Ele havia ficado nervoso, como era de se esperar, mas não parecia inclinado à sucumbir à besta. Por isso, deixa ele extravasar da forma que pode e não o interpela para tentar acalmá-lo.

Ouve Guille e Natanael se pronunciarem, mas concorda apenas em partes com eles.
- Vejam bem. Por um lado, é uma boa ideia nos assumirem como membros decididos, e não candidatos. Entretanto, não acredito que temos força para determinar toda a composição da corte. Nossa aliança, apesar de sólida, configura apenas metade dos clãs da Camarilla, e clãs como  Ventrue, Tremere e Nosferatus não aceitam imposições de bom grado. Isso poderia gerar uma guerra interna que seria muito pior para a Camarilla. A barganha e a negociata ainda são opções mais seguras.

Enfim o anfitrião deu o ar da graça. Sorriu para o irmão de clã, esperando pacientemente ele terminar de dar as ordens à seus robôs e saudá-los.
- Boa noite, Terry Constantine. Acredito que falo por todos nós quando agradeço pelo seu resgate e sua hospitalidade...
Mas assim que ele acende o cigarro, a fumaça começa a incomodá-la de sobremaneira, fazendo ela recuar, balançado as mãos para afastar aquela fumaça, que lhe traziam memórias de tempos nefastos e de um mortal asqueroso que ela adoraria ter tido a chance de...

"Acalme-se..."
Consegue muito pouco disfarçar seu mal estar.
- Com licensa. - pede, antes de se afastar dele o máximo que pode; tentando se recompor.

Ao ouvir a consideração de Filippi ela subitamente se vira. Continua longe de todos, mas recomeça a falar, com ainda mais energia.
- Exato! Por acaso vocês repararam? Não havia nenhum ventrue naquele Elísio! - enfatiza a palavra, de maneira acusatória.

_________________
Aparência: 5 (Rosto de bebê)
Carisma: 5
avatar
Emilie Blanc

Mensagens : 433
Data de inscrição : 02/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Guille - Todos

Mensagem  Guille França em Sab Fev 22, 2014 2:20 am

O Toreador vê todo cuidado que as Malkavianas dispensam para não irritar o Brujah, elas realmente era muito políticas e trabalhavam muito bem juntas. O Brujah se descontrola a princípio, o que levanta uma sobrancelha de Guille, um bom guerreiro sabia se controlar nos ganhos e nas perdas, e finalmente ele se controla, aliviando o lutador.

Natanael diz que deveriam entrar em contato com os Ventrue, e Guille concorda, ele tateia em busca daquele tão útil tablet, quando percebe que tinha ficado em seu paletó, queimado no Elysium, internamente ele se xinga por aquilo. Então o dono do submarino e anfitrião aparece dando ordens aos robôs. E os chama para a sala de estar, porém ele acende um cigarro, e imediatamente Emilie reage muito mal e se afasta bastante de Terry. Dentro de um submarino não era uma boa etiqueta acender um cigarro, ainda mais depois de todo fogo que tinham passado, aquilo era uma ofensa, porém ele era o anfitrião e achava que tinha que tolerar aquilo pelo resgate.

"- Boa Noite senhor Constantine, assim como Emilie disse agradecemos muito o resgate."

Então na sala de estar, o Toreador se afasta do anfitrião, mas sem demonstrar nenhum problema com o cigarro, ele sabia que como humano aquilo atrapalharia no perfil atlético, e por isso nunca tinha fumado, mas toma as dores de Emilie se aproximando dela na sala de estar, discretamente desaprovando também o cigarro de Terry.

"- Emilie, antes de fazermos qualquer acusação contra os Ventrue deviamos nos informar direito. Alguém ainda tem o tablet funcional que recebemos no Elysium? Lá temos o contato dos Ventrue, e podemos nos informar direitinho da situação. Não havia nenhum Ventrue, mas pelo que sei, foram eles, os tais Van Hagen que construiram toda a base para que hoje estivéssemos aqui, sem eles não teríamos a menor chance de criar essa Torre de Marfim. Sem querer agir como advogado do diabo, sabendo que falei para elegermos sem o Clã Nobre um Príncipe."

Guille se mantém em pé, aguardando que seus outros companheiros sentem na sala de estar, porém ele puxa um dos puffs perto do sofá ao fundo da sala, para se Emilie quisesse se sentar nele.

_________________
Carisma: 4
Aparência: 3
avatar
Guille França

Mensagens : 293
Data de inscrição : 04/02/2014
Idade : 25
Localização : Sâo Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enseadas - O fundo das baías, lagos, lagoas, praias e mar aberto do Rio de Janeiro

Mensagem  Cláudia Denbrought em Sab Fev 22, 2014 7:24 am

Todos pareciam pontos para fazerem explodir suas opiniões, mas felizmente boparte delas coincidia com as de Cláudia e Emilie. Isso não provava, necessariamente, que o plano era bom, mas os aproximava o mais possível de uma possível solução para conflitos que ainda não tinham acontecido. A forma como Luiz Fillippi acariciou-lhe os cabelos a pequena fechou os olhos, deixando de lado um pouco a ideia de que era uma vampira centenária e lembrando de sua vida antes do abraço.

Finalmente o assunto ventrue surgiu. Aparentemente muitos tinham pensado nos sangue-azul, mas haviam mantido essas palavras em silêncio até aquele instante. Esse era o caso de Cláudia. Claro que ela tinha considerado o fato de nenhum sangue azul estar no elísio. E os que melhor conheciam a Cláudia maquiavélica e se lembrassem dessa face oculta da meiga criança vampira poderiam supor que o fato dela considerar que Kennedy provavelmente estava vivo era uma acusação, velada, dele ter sido o causador do ataque ao elísio.

Quando o senhor Constantine chegou e começou a dar ordens aos robôs ela saiu de sua expressão contemplativa. Assim que ele os convida para o outro salão, a pequena o acompanha. Não se incomodou com o cigarro. Não fora um, nem dois vampiros que ela vira apreciando o fumo. O próprio Villon às vezes era visto com uma piteira.

A vampira senta-se no chão, ao invés de se acomodar em um dos inúmeros assentos disponíveis naquele lugar. Ela cruza as pernas sobre seu colo e sorri amarela diante do comentário de Terry.

- Tudo bem, capitão Terry. Cláudia já se convenceu que o submarino não será pintado de amarelo. Mas deixe que ela lhe pergunte. A que ponto a embarcação é segura contra os artifícios dos escondidos para reunir segredos? – um de seus companheiros tinha perguntado se os ratos não acompanhariam o grupo em suas pretensões, entretanto ela tinha visto que quem finalizara Jorge fora Carlent. Eles haviam resgatado dois membros, mas provavelmente com o objetivo de angariar dívidas. Era assim com a maioria dos vampiros, só que os nosferatu adoravam isso de um modo especial. A lunática confiava nos outros, em parte, por que tinham vivido juntos o terror do fogo e da escuridão. Não eram dois resgates que fariam com que ela confiasse imediatamente em alguém dito tão desumano quanto Carlent.

- Sim, precisamos entrar em contato com os ventrue e com as outras tremere, para sabermos qual é a situação das famílias. Além disso, Luiz Fillippi está aqui e Jorge morreu, mas restam Maria Bonita, Lampião e o senhor Mattheus Olston. Tem notícias deles, Capitão?

Em seguida se dirigiu aos outros, especialmente a Emilie e Fillippi.

- Cláudia supõe que Leon kennedy está vivo exatamente pela ausência de sangue-azuis no elísio na hora do ataque. É coincidência demais dois dos adversários do sensehor Kennedy em sua corrida ao principado morrerem em um ataque ao elísio, aparentemente seguro, enquanto nenhum membro do clã do cetro estava no ambiente sacrossanto

_________________
Aparência - 5
Carisma - 5
avatar
Cláudia Denbrought

Mensagens : 84
Data de inscrição : 02/10/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Terry Constantine - Claudia Dembrough | Emilie Blanc | Natanael Lacerda | Vincent Lyon | Luiz Filippi | Guille França

Mensagem  Narrador em Sab Fev 22, 2014 8:00 am

Já na sala maior, o lunático responde para Claudia com bom humor e aparentando tranquilidade enquanto terminava de fumar o seu cigarro:

'- O Submarino, ao contrário do Ellisium é seguro, mas eu duvido que depois do ataque vocês vão conseguir acreditar na segurança. Nós estamos muito abaixo do nível do mar, estamos com todos os dispositivos tecnológicos de proteção e anti-rastreamento ligados. Os que me procuram, pequena notável, são muito mais poderosos e melhores rastreadores que os escondidos e o Sabá juntos...'

O Malkaviano olha para todos ali e comenta:

'- Pelos padrões binários que eu vejo, todos ainda estão de certo modo tensos. Acalmem-se, aqui realmente é seguro. Enquanto estiverem sob minha hospitalidade, estarão seguros. Ao contrário dos que pelo que ouvi estão nos esgotos, desses eu tenho pena... Carlent é a personificação do nosso lado mais vil e sombrio...'

Olha pro Brujah Filippi e para o Toreador Guille e diz:

'- Vocês dois, aproximem-se, pelo que vejo é com vocês que eu devo falar.'

E, enquanto eles podiam se aproximar ou não, o Malkaviano diz para o grupo:

'- Leon Smith Kennedy está morto. Ele estava no helicóptero que foi explodido. Os Arcontes também está morto. Horazio e Hildegrand estão mortos. Não consigo contato telepático com Luna nem com Conselheiro desde que eles deixaram o submarino. Lampião me informa que Maria Bonita e Olston caíram no porto. A Ventrue Jéssica o ajudou a conseguir sair da emboscada feita por lá.'

O Lunático olha pra todos e diz:

'- O que o Toreador diz é certo. Os Ventrue não só construíram isso com muito trabalho, como também já tinham o principado nas mãos. Não precisamos pensar muito para mapear que a candidatura de Horazio era uma candidatura feita mais para aparecer do que qualquer outra coisa e a de Jorge nunca sequer teve chances. Leon já tinha acordo com os Nosferatus e os Tremeres. E os Arcontes que aqui chegavam era um Ventrue e um Tremere. Os Ventrue, mais do que qualquer outro clã aqui, não tinham motivos nenhum para estragar a própria festa.'

Terry se acomoda e uma mesa redonda, onde esperava Filippi e Guille e fala, agora olhando para Emilie:

'- Por mais que sejamos da espécie mais traiçoeira que habita os sete mares, às vezes devemos deixar a teoria da conspiração de lado e admitir o óbvio: foi um ataque do Sabá. Eles nos atacaram e eles venceram. Nem sempre precisamos ser traídos, às vezes basta o Sabá atacar e ele pode vencer...'

Fala e, entre uma tragada e outra comenta o contraditório:


'- O que não quer dizer que uma traição não possa ter acontecido, mas acho que o Clã Ventrue, como clã, também foi vítima do ataque dessa noite... alguém já contabilizou quantos foram os mortos?'
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Natanael - todos

Mensagem  Natanael Lacerda em Sab Fev 22, 2014 8:48 am

Ao lado de Vincent, Natanael observava e ouvia. A fúria do Brujah, que o responde sem jeito, havia sido aplacada e um Malkavian fumante entra no local se apresentando como o anfitrião. Havia muito mais máquinas inteligentes do que ele imaginava. Emilie se incomoda visivelmente com o cigarro, mas Natanael adorava o cheiro do tabaco. Os demais Membros continuavam a divagar sobre os Ventrue depois que Guille havia lançado o assunto.

O anfitrião então os convidam para uma sala maior e se apresenta e tenta os acalmar. Natanael se adianta, depois de esperar por Vincent para irem juntos à sala:

_Agradeço pela hospitalidade e pelo resgate, senhor Constantine. A dívida será paga. A propósito, me chamo Natanael Lacerda, do Clã Toreador.

Se apresenta e continua ouvindo aos demais. O que o Malkavian fala era o que o Toreador estava pensando. Acreditar que os Ventrue fariam aquele atentado era um pensamento muito simplista. A política é o play-ground do Clã dos Patrícios desde tempos imemoriais e eles não fariam um atentado contra dois candidatos a Príncipe deixando apenas o seu próprio candidato ileso. Seria um erro primário, infantil e nada condizente com o ardil dos Sangue Azul. Seja como for, a confirmação da morte de Kennedy por parte de Constantine veio para clarear ao menos essa parte. O mais óbvio a se pensar é que era mesmo um ataque Sabá. E ainda havia as explosões no porto que Natanael tinha ouvido, certamente o motivo da queda daqueles citados pelo Lunático. As baixas eram bem superiores, então.

_Ótimo! - diz em um tom irônico - agora não temos mais nenhum candidato a Príncipe. Sugestões, senhores?

O pedido de sugestão era sério, afinal, ele não conhecia nem metade dos Membros ali residentes. Deveria haver alguém interessado e apto para o cargo. Olhava ao redor enquanto esperava uma resposta e quando para sobre o rosto de Constantine, que já estava mais distante, tenta ver sua Alma.


Off: Percepção da Aura em Constantine.

_________________
Natanael Lacerda - Toreador
Aparência 5
Rubor de Saúde

Status 2
Prestígio de Clã 2
Senhor de Prestígio - Victoria Ash


"A poesia é decerto uma loucura." (Sêneca)
avatar
Natanael Lacerda

Mensagens : 152
Data de inscrição : 04/02/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Guille - Conselho de Segurança da ONU

Mensagem  Guille França em Sab Fev 22, 2014 8:58 am

Cluaida se pronuncia após Guille e depois é a vez de Constantine com maiores informações do que estava acontecendo. O submarino é seguro e tem uma gama enorme de proteções tecnológicas. Guille ja estava convencido disso. Mas seria bom para acalmar os outros.

Então Constantine, lembrando agora o Toreador que o personagem homônimo no cinema fumava o tempo todo, assume que deveria conversar com Guille e Luiz Fillipi, assumindo que ele, Guille era o representante do Clã Toreador. Ele, então, dando um olhar para Emilie antes de ir, para ver se ela estava tranquila ja com o cigarro, Guille mao sabia se o problema dela era com cigarros ou com a chama que talvez ainda a tivesse lembrado do Elysium, e se aproxima um pouco da mesa redonda de reuniões, se dirigindo a uma cadeira enquanto responde ao anfitrião.

"- Antes de mais nada, meu nome é Guille França, do Clã da Rosa, muito prazer em conhecê-lo senhor Constantine. É com pesar que vejo minhas suspeitas se confirmarem com a morte do candidato Ventrue. De fato eles não teriam motivos para nos trair. Deixando apenas Nosferatus, que podemos falar o que for deles, costumam ser bastante leais como um Clã e so Tremere. Mas os Feiticeiros usarem Assamitas não me parece o Modus Operandi deles, e podia sempre os tornar um alvo secundario para o Assassino"

Guille finalmente se senta. Com as duas mãos cruzadas apoiadas em seu queixo.

"- Então pelas notícias que temos, apenas dois Brujah sobreviveram? Uma pena, precisaremos do espirito guerreiro deles."


Guille olha fixo para Fillipi após essa frase.

"- Os Ventrue parecem nossos aliados mais faceis e mais provaveis para garantir a maioria de Clãs, eles foram afetados pelo ataque também. E também os Tremere podem ser inclusos, pois Bianca, mesmo nao tendo se apresentado como candidata a um cargo parecia importante dentro do Clã dos Feiticeiros, assim ao menos deixou Ian transparecer."

Uma reuniao sobre estrategia, politica ou de conbate, era o lugar adequado para Guille, que sempre esperava colocar em prática tudo que aprendeu com Mestre Maeda.

"- Finalmente senhor Constantine, mais uma vez agradecendo o resgate, o senhor ou alguém, mesmo que seja os Nosferatu, poderia informar de onde costumam partir os ataques da Espada de Caim? E mais importante, que territorios fisicos e politicos eles controlam?"

_________________
Carisma: 4
Aparência: 3
avatar
Guille França

Mensagens : 293
Data de inscrição : 04/02/2014
Idade : 25
Localização : Sâo Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Filippi - todos

Mensagem  Luiz Filippi em Sab Fev 22, 2014 9:35 pm

*Filippi escuta com um ar sério o relatório de Terry sobre tudo que acontecera e vai ficando cada vez mais sombrio.*

- Então não há mais dúvidas, é mesmo o Sabá. A última possibilidade de que não fosse isso caiu. Merda, eu ia sair para investigar, com Ian e o ventrue... talvez tivéssemos impedido isso... ou talvez estivéssemos todos mortos também...

*Isso o lembra de Rurik, e Filippi pega o celular para tentar descobrir que fim levara o ventrue, mas não chega a ligar: vê a mensagem e percebe que ele acabara indo sozinho justamente para onde ocorrera toda a confusão. Não tinha nenhuma expectativa de que tivesse sobrevivido*

- Rurik Price deve estar entre os mortos também *comenta apenas, sem emoção*

*Filippi sustenta o olhar de Guille e diz diretamente para ele, num tom quase brusco*

- Muitos toreadores são bons guerreiros também. Em Joinville, éramos liderados por um, nunca conheci alguém que juntasse de tal maneira espírito de guerra e capacidade de união. Se você não for mais um desses frescos, tem sempre um lugar na luta
*olha para Natanael e Vincent e faz um gesto* Desculpe.

*Olha para Emilie*

- Você é a única primógena aqui. Deveria tentar contatar os ventrues. Posso tentar falar com os tremeres. Alguém se dispõe a procurar Carlent?

_________________
Carisma 4
Aparência 2
Qualidade: bad boy
Idade aparente: 43
Altura: 1,90 m
avatar
Luiz Filippi

Mensagens : 216
Data de inscrição : 26/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Emilie - Aliança Brujah-Malkav-Toreador

Mensagem  Emilie Blanc em Sab Fev 22, 2014 10:02 pm

Emilie dá um sorriso agradecido para Guille com a consideração que ele demonstra por ela e logo se põe a pensar no que ele fala. Não faria uma acusação contra os ventrue em público mas achou válido colocar essa questão para seus aliados pensarem.

Demora a perceber que Guille havia puxado aquele puff para ela e assim que se dá conta, sussurra graciosamente para o toreador.
- Para mim?! Obrigada.
Se senta, ajeitando a saia úmida sobre as pernas fechadas, e colocando a toalha como um xale sobre os ombros.

Cláudia coloca uma tarefa importante, e Emilie estava prestes a perguntar qual o telefone do Primógeno Ventrue quando Terry revela que o candidato do clã havia morrido, e que a extensão das baixas havia sido maior do que imaginava. Temeu por Conselheiro, muito mais do que por Luna. O ancião tinha o profundo respeito e admiração da malkaviana. Temeu também por Thomas, ao saber que Carlent poderia ser cruel. Lembrou-se de que já havia algum tempo que ela não recebia mais nenhuma mensagem telepática, nem mais sentia a presença dos outros em sua mente. Por acaso Bianca não tinha dito algo a respeito disso? Dera pouca atenção na hora.
A morte de Rurik também não dispensou quase nada de sua consideração. Não se lembrava de tê-lo conhecido.

Natanael pedia uma sugestão de príncipe e Emilie não conseguia pensa em ninguém naquela sala apto ao cargo, exceto Terry Constantine. Seu misterioso irmão de cla era inteligente e poderoso. Conhecia todos os membros e deveria ser capazde criar estratégias de ataque e defesa formidáveis contra o Sabá, mas duvidava que ele estivesse interessado em comandar o Rio de Janeiro.

Com quais outros clãs iriam se unir? Era a questão que Guille agora colocava.
- Vocês têm razão. O mais provável é o que o ataque tenha partido do Sabá, mesmo assim eu não confio nos Ventrue. Os Tremere me pareceram mais dignos. Ian tem meu respeito, e Bianca também demonstrou valor. Quanto aos Nosferatus... prefiro esperar Thomas se juntar a nós para que ele diga as impressões que teve ali. Podemos buscar mais um amigo na superfície depois, Terry?

Falar sobre o combate ao Sabá faz um pouco mais de energia brotar nas feições de Emilie, ela olha com  confiança para Guille e Luiz Filippi e até se levanta do puff onde estava.
- Eu acredito que vocês dois deveriam compor um grupo de elite para investigar e combater o Sabá. Ian também seria uma bom integrante. Você tem uma academia, certo Guille? E chegou a mencionar apresentações de luta entre Membros. Eu proponho mais! Você poderia ceder este local como espaço de treinamento para todos os que pertencerem a esse grupo, para que possam aprender um com o outro, trocar conhecimentos, experiências, em combate prático ou em estratégias do Sabá.

Dá um rápido sorriso, antes de continuar.
- Eu adoraria me juntar ao vocês, mas como Luiz Filippi já disse, eu tenho outros deveres como Primógena, mas quero treinar com vocês. Posso ensinar a arte de manejar uma espada japonesa e tenho algumas noções de judô também. Acredito, entretanto que eu tenho um conhecimento ainda mais útil, o poder de desviar olhares de si mesmo...

Deixa eles refletirem por um momento, mas a ideia evidentemente a empolga, além da dose de loucura que sempre pairava em seus olhos.

- E é claro, que além disso, a Camarilla precisa de alguém que assuma de forma oficial a tarefa de caçar o Sabá, e como já comentamos mais cedo, o cargo de Xerife sempre foi tradicionalmente do Clã Brujah.
Gira o olhar para Luiz Filippi, dando uma piscadela para ele.

_________________
Aparência: 5 (Rosto de bebê)
Carisma: 5
avatar
Emilie Blanc

Mensagens : 433
Data de inscrição : 02/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Terry Constantine - Claudia Dembrough | Emilie Blanc | Natanael Lacerda | Vincent Lyon | Luiz Filippi | Guille França

Mensagem  Narrador em Dom Fev 23, 2014 6:08 am

Sentado na mesa, Terry olha para Luiz Filippi quando este cita Rurik e o lunático comenta com o Brujah:

'- Rurik Price e Luna Lestrange foram nomes que haviam me chamado a atenção na noite passada. Incluí os dois às pressas na nossa rede virtual exclusiva e protegida. Peguei todos vocês antes de botarem o pé no Ellisium, eles me deram trabalho e por conta disso resolvi acionar alguns contatos.'

O Lunático fumava compulsivamente e falava entre uma tragada e outra:

'- Rurik Price morreu diablerizado tem mais ou menos 100 anos. E Luna Lestrange nunca existiu.'

Uma espécie de holograma com imagens do Ellisium na noite anterior começa a ser projetado na mesa e Terry começa a dizer:

'- Olhem para Luna e Price trocando olhares. E olhem como Price se aproxima dos locais onde haviam os rituais e os raspa discretamente durante o pronunciamento do exército. Reparem nisso.'

O Malkaviano comenta:

'- O rosto é do verdadeiro Rurik Price, que está morto, mas mudar as formas de um rosto não é um problema para o Sabá.'

Terry não demosntrava maiores emoções com as perdas, parecia funcionar no "automático" e, olhando para Emilie mais afastada comenta:

'- Com Luna é apenas uma suposição ainda, pois não tenho mais nada de concreto que a troca de olhares, mas ela também usa uma identidade falsa. Luna Strongest nunca existiu. Procurei na rede, nos dados com contatos da América do Norte e do Velho Mundo e nada sabe-se sobre Luna Strongest. Tentei contatar Conselheiro, mas não sinto mais sua mente.'

Logo as imagens dão lugar a um mapa do Rio de Janeiro. Os pontos marcados eram onde haviam sido feitos os ataques e o Malkaviano diz:

'- Os ataques foram feitos na Ilha Fiscal e no Cais do Porto. Há registros de incidente por toda Zona Portuária, na Zona Norte, no entorno da Quinta da Boa Vista e na Marina da Glória. O ataque, dessa vez, não foi concentrado quanto nas outras. E os alvos pareciam claros: os candidatos à príncipe.'

O Malkaviano volta-se para Emilie de novo e diz:


'- Podemos buscar sim, desde que o "amigo" em questão esteja em local seguro. E espero que o "amigo" seja "amigo" mesmo pois nossa espécie não é conhecida por ser a mais unida entre as espécies e assim como Rurik não era Rurik, como Luna não existe e pode ser uma traidora, eu não descarto a possibilidade de haverem traidores aqui ou do "amigo" poder ser um traidor também. O Cais do Porto e a Marina da Glória não são opções no momento caso opte por chamar o "amigo" mesmo assim... e não me leve a mal, Primógena, mas não há espaço para romantismo e inocências após um ataque do Sabá.'
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Guille - Todos

Mensagem  Guille França em Dom Fev 23, 2014 8:36 am

Após sua fala o Brujah Luiz segue com a discussão, aceitando que não há dúvidas e que havia realmente sido o Sabá que os atacou. E então ele dá uma cutucada não tão sutil assim nos outros Toreadores, e Guille olha para os dois esperando a reação que eles teriam aquilo. Emilie então continua, se sentando no puff que ele tinha puxado para ela, quando ela começa a falar, o Toreador vira sua cadeira de onde estava para poder olhar diretamente para a Malkaviana, prestando total atenção em suas palavras. Ela sugere irem buscar o pequeno Toreador, e com ele Ian, o que seria uma adição muito boa, visto que era um dos Clãs que faltavam ali, então ela sugere que Guille e Filippi criem um local de treinamento para os membros, nas artes da luta, para poderem sobreviver, o Toreador então fala, para ela e para os outros.

"- Com certeza meu principal objetivo a partir de hoje é combater o Sabá, e se o senhor Filippi concordar, podemos tomar a frente em uma investigação e possível contra-ataque. Além do mais, minha academia está aberta para qualquer Cainita que deseje instrução nas artes marciais, e além disso, seguindo a sugestão de Natanael, se for do desejo de todos, o Elysium temporário pode ser lá, posso liberar o meu dojô privado na academia e prepará-lo para receber uma reunião de Cainitas."

Guille também se impressiona que Emilie saiba lutar com uma katana.

"- E senhorita Emilie, eu pessoalmente adoraria ser instruído por vosmicê na arte da espada japonesa, e podemos comparar nossos conhecimentos na arte do judô."

Então ela novamente indica Filippi para o cargo de Brujah, mas quem seria o Primógeno de tal Clã se ele fosse Xerife? Prossegue então com a palavra Terry. Ele então fala de dois Membros que haviam aparecido no dia anterior, e que eram suspeitos de não ser quem eram, um holograma mostra o tal do Rurik se aproximando das runas de proteção do Elysium, aquilo era mais que suspeito, era uma prova que haviam sido infiltrados, e aquilo traz uma nova dúvida perante todos, Guille observa rapidamente cada um dos que estavam ali, poderia um deles estar fingindo? Então o holograma com as filmagens se transforma num mapa do Rio de Janeiro, o Toreador se arruma na cadeira para melhor observá-lo. Todos os ataques tinham sido próximos ao mar, o que poderia indicar duas coisas.

"- Os ataques foram focados na parte litoral da cidade. Isso sugere duas coisas ou o Sabá tem uma base que pudessem lançar ataques marinhos, o que é improvável levando em contra que o senhor Constantine patrulha o mar com este maravilhoso submarino ou mais provavelmente eles partiam dos morros da cidade, e da parte mais interior do Rio de Janeiro, tentando expulsar-nos para o mar. Acredito que nossas bases na cidade fossem todas próximas à praia, o que sugere que talvez na sociedade humana do Sabá, para adquirir armas e meios de nos atacar, venham das comunidades dos morros. O que nós sempre tivemos de vantagem contra a Espada de Caim, foi a influência na sociedade humana, e sendo assim, temos que garantir essa vantagem para conseguir vencê-los. Precisamos de contatos com políticos, policiais e comandantes do tráfico, com isso podemos localizar os refúgios do Sabá e transformar a vida diurna deles em um inferno, com mandatos de busca, reorganizações da política urbana da cidade e etc, etc. Isso tudo prejudicaria muito a força deles em nos atacar. Além do mais, o boato da doença do vampirismo pode colaborar conosco, além de ser uma cobertura para a Máscara, podemos 'guiar' as forças militares para zonas do Sabá, fazendo com que o exército ganhe essa batalha para nós."

Guille fala olhando para todos, esperando que alguém diga que tem poder em alguma das áreas citadas, seria bom conhecer todo o potencial de cada um e saber como explorá-lo na expulsão do Sabá.

_________________
Carisma: 4
Aparência: 3
avatar
Guille França

Mensagens : 293
Data de inscrição : 04/02/2014
Idade : 25
Localização : Sâo Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enseadas - O fundo das baías, lagos, lagoas, praias e mar aberto do Rio de Janeiro

Mensagem  Cláudia Denbrought em Dom Fev 23, 2014 12:38 pm

Silêncio. era tudo o que obtiveram de Cláudia depois que ela sentou no chão. A pequena malkaviana parecia estar analisando padrões. Olhava para o chão, para os outros, para os hologramas mostrados por Terry. Cláudia não piscava e se movia de maneira tão suave que algumas vezes pareciam estar olhando para uma estátua. Ela não conseguia se pronunciar. Permaneceu assim até que Terry perguntou se eram realmente aliados ou infiltrados os membros que Emilie queria resgatar. Antes que a bailarina respondesse, Cláudia disse.

- Monsier Haulot é confiável, embora Cláudia não possa ter certeza em relação ao senhor Tokunaga, embora seja provável que uma vez que ele é tremere também não seja um membro do sabbat infiltrado. - ela colocou-se de pé de novo. Parecia ter acordado depois do tempo que ficou sentada refletindo. Ela pensava no futuro, ouvia as vozes e, assim como Terry, procurava por Conselheiro e Luna Strongest na rede malkaviana. Talvez conseguisse localiza-los. Ou talvez tivesse a confirmação de que eles também foram vítimas do sabbat.

- Cláudia e Emilie conhecem Thomas da Bretanha e ele se aliar ao sabbat não seria uma opção para o pequeno toreador.

OFF: Cláudia tenta encontrar conselheiro e Luna na rede.

_________________
Aparência - 5
Carisma - 5
avatar
Cláudia Denbrought

Mensagens : 84
Data de inscrição : 02/10/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Terry Constantine - Claudia Dembrough | Emilie Blanc | Natanael Lacerda | Vincent Lyon | Luiz Filippi | Guille França

Mensagem  Narrador em Dom Fev 23, 2014 6:32 pm

Terry ouve as palavras de Guille e completa dizendo:

'- Eu concordo com você no que diz sobre as nossas principais armas, mas acho que estamos um tanto quanto desarmados aqui. Desde que os Lobisomens praticamente expulsaram os vampiros da cidade que não temos nada e com a morte de Kennedy, creio que nos sobrou muito pouco. Se é que sobrou algo. Talvez o Clã Ventrue...'

Olha para os membros ali sem muita esperança e volta sua atenção à Filippi e Guille, dizendo:

'- Mais do que nos empurrar para o mar, pois se haviam traidores e Luna estiver entre eles eles saberiam que eu os resgataria. Ela teve minha hospitalidade a noite passada e esteve apreensiva o tempo todo que esteve aqui. O ataque deixa claro que eles sabiam onde atacar. Foram no acesso ao Ellisium, no Ellisium e no território Brujah, nitidamente o nosso principal braço de Guerra.'

Olha para Filippi para ver a reação dele ao comentário e segue dizendo:

'- O ataque ao museu na Zona Norte ainda não tem explicação para mim. Não vejo também ataque ao Ancião Tremere, mas também não sei onde ele se esconde e eles podem não ter descoberto. Atacaram e mataram três candidatos à Príncipe, o que indica que sabiam o que faziam.'

Terry se levanta da mesa, debruçando-se sobre o mapa-holograma que mostrava os pontos de ataque e sentencia
:

'- Senhores eles queriam, e conseguiram, nos infringir uma derrota. E queriam dizer que mandam na cidade. Isso está óbvio.'
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Claudia Dembrough

Mensagem  Narrador em Dom Fev 23, 2014 6:36 pm

Utilizada por Malkavianos da Camarilla e do Sabá, a rede da loucura era um espaço aleatório. Podia-se ver e ouvir de tudo, mas achar alguém específico ali dentro era um ato de muita sorte. Sorte que não acompanha a pequena Claudia que em meio a sua concentração só viu cenas do Ellisium em chamas. Esse era o assunto comentado na rede. A mensagem que circulava pela rede da loucura era o anúncio de que o Rio de Janeiro era Território do Sabá.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Emilie - Aliança Brujah-Malkav-Toreador

Mensagem  Emilie Blanc em Dom Fev 23, 2014 7:52 pm

A fumaça do cigarro faz Emilie tossir, no canto da sala. Um incômodo enraizado de seus dias de mortal, mantido mesmo depois de seus pulmões terem morrido. Comaçava a considerar seriamente sair da sala até ouvir as revelações de Terry.

Se a questão fosse só o nome, Emilie talvez relevasse. Ela mesma já tinha alterado o seu para manter a Máscara e continuar atuando como bailarina, mas lembrou-se do quanto ficara brava com Luna ao ouví-la defendendo o Sabá, e as filmagens de Terry eram mais do que suficientes para condenar Rurik.

Engole em seco ao ouvir sobre a mente de Conselheiro. Sabia o que aquilo significava. A notícia era ainda mais amarga que a nicotina. Mas como um vampiro, antigo, sábio e com o dom da previsão teria sido emboscado? E se Conselheiro tivesse realmente descoberto que sua Morte Final era inevitável, não deixaria algo para seus irmãos de clã? Talvez devesse checar na Rede mais tarde.

O pedido de Guille para aprender a usar uma katana é a única coisa que faz Emilie sorrir, bem como a chance de colocar suas habilidades no judô em prática.
- Será um prazer, Guille França.  

Um novo arroubo agita a dançarina com a sugestão do toreador.
- Isso! Eu pensei a mesma coisa ontem, quando vi as primeiras notícias do ataque ao Sabá. Eles devem estar se concentrando nos morros, negócios ilícitos sãos os preferidos deles...
Um franzir perturbado de sobrancelhas marca o rosto de Emilie antes dela continuar.
- Sem descartar a hipótese de que eles podem também influenciar negócios formais, mas para realizar ataques como bombardeios seria necessário o nível de armamento que os traficantes detêm. Além dos espiões, Rurik, Luna, sabe-se lá quantos mais...  

Estava prestes a defender Thomas, assim que conseguisse afastar a fumaça do rosto, quando Cláudia se adianta. Limita-se a concordar com ela.
- Sim, Thomas é velho conhecido nosso, é cria de uma senhora importante na Bretanha, Maëlle. Se for o caso eu posso usar informações do nosso passado em comum para descobrir se alguém tentar se passar por ele.


Os alertas de Terry deixam Emilie apreensiva, olhando para os membros na sala com certo receio, mas até o momento não via motivos para desconfiar deles. Todos haviam se ajudado mutuamente no Elísio em chamas e aquele era um forte gesto de credibilidade. De qualquer forma, o isolamento paranóico não era opção, ainda mais agora com o relatório que tinham e precisavam enfrentar com seriedade e frieza. o Sabá dominava o Rio de Janeiro.

Volta a se sentar no puff, lançando seu corpo sobre o assento com um cansado desleixo.
- Vou ligar para os ventrue então. Tentar agilizar com eles uma reunião com todos os representantes da Camarilla e ver como está a situação deles. Temos que recolher os cacos e avaliar quanto de influência eles ainda detém. Terry, tem como me garantir uma linha segura? - pergunta olhando nos olhos de seu irmão de clã. - Preciso também do número do primógeno deles. - dá um riso triste - meu tablet e meu celular caíram na água então, acho que eles não têm muita salvação. Espero que seja diferente conosco.

_________________
Aparência: 5 (Rosto de bebê)
Carisma: 5
avatar
Emilie Blanc

Mensagens : 433
Data de inscrição : 02/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Terry Constantine - Emilie Blanc

Mensagem  Narrador em Dom Fev 23, 2014 8:01 pm

'- Cruzeiro do Sul, um celular seguro e critpitografado e um novo daqueles Tablets especiais para todos na sala, imediatamente.' - Diz Constantine, sem parar de fumar mesmo com os incômodos de Emilie, após as palavras da lunática.

O Robô sai e, em pouco tempo volta e entrega os equipamentos para todos.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enseadas - O fundo das baías, lagos, lagoas, praias e mar aberto do Rio de Janeiro

Mensagem  Cláudia Denbrought em Dom Fev 23, 2014 8:34 pm

Quando Terry falou sobre sua hospitalidade à Luna na noite anterior a pequena malkaviana se lembrou dela dizendo que talvez o sabbat estivesse certo e a camarilla errada! Tinha sido um sinal! Cláudia começou a se martirizar, mas não permitiria que isso transparecesse. Qualquer mudança em sua expressão poderia ser explicada por tudo o que tinham passado. O trauma do fogo ainda não desaparecera e seu vestido ainda estava cheio de manchas de cinzas e, agora que a água do mar começava a secar, também surgiam pequenos cristais de sal.

Na rede o que via era uma coisa só: chamas, destruição e morte. O elísio tomado pelos seus inimigos e o sabbat mandando um sinal, dizendo que dominava a cidade. Ela não poderia mudar aqueles fatos, mas tentaria revertê-los no futuro. Que seus irmãos soubessem que duas malkavianas estavam naquele incêndio. Que elas sobreviveram. E iriam retomar o controle da cidade. Uma lunática da linhagem de Matelin da Bretanha e outra da linhagem do Anjo Louco de Paris.

- A grande questão é que não tivemos tempo de nos infiltrarmos na sociedade mortal. Os que estavam mais próximos disso eram os ventrue e os toreador, com os senhores Pezzini, Montecchio e Kennedy. Dois, dos três estão mortos. Enquanto temos que começar com o trabalho de formiguinhas nossos inimigos já estão com suas posições consolidadas. - falou dirigindo-se a todos, especialmente a Guille.

- Emilie... você disse pra procurarmos monsier Carlent... se ninguém fizer objeção, Cláudia poderá procura-lo. - ela pegou o tablet que o robô do tecnopirata lhe entregou e começou a procurar pelo nosferatu ali. Enquanto observava os cainitas viu que duas outras vampiras estavam ali. O tablet ta dizendo que tem duas outras cainitas na cidade. Uma tremere e uma toreador. Mas isso era o de menos. Também havia uma ventrue, que ela jamais esperaria encontrar ali. A conhecera em Nantes e não conseguiu deixar de exclamar, em bretão - Meu Deus. Marie-amelie também? Assim a Bretanha daqui a pouco estará desabitada! - falou e logo em seguida voltou ao português. -  Parece que temos novas companhias na cidade. O tablet falou de duas outras recém chegadas, uma feiticeira e uma rosa.

Sem se afastar do grupo, a malkaviana pegou o telefone e, procurando no tablet o contato de François Carlent, fez uma ligação para o nosferatu.


Última edição por Cláudia Denbrought em Seg Fev 24, 2014 7:04 am, editado 1 vez(es)

_________________
Aparência - 5
Carisma - 5
avatar
Cláudia Denbrought

Mensagens : 84
Data de inscrição : 02/10/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Emilie - Wake up call

Mensagem  Emilie Blanc em Dom Fev 23, 2014 8:50 pm

Assim que recebe os equipamentos, Emilie pega primeiro o tablet, procurando pelos membros do clã Ventrue. Fazer a ligação poderia ao menos lhe dar um motivo para sair de perto daquela fumaça horrenda. Procuraria ver se algum deles estava indentificado como primógeno até que um nome e uma foto chamam a sua atenção.

"O que ela está fazendo aqui?!"

Conhecia Marie-Amélie Bourdon da Bretanha. Era uma ventrue influente, tinha o cargo de Zeladora do Elísio e se orgulhava de ser conselheira do próprio príncipe. Por que teria deixado uma posição tão privilegiada para vir ao Brasil? Não fazia sentido para um ventrue que apreciava tanto ter status e Marie-Amelie não tinha muito o perfil de aventureira. Teria ficado menos surpresa se sua própria senhora surgisse na porta ao lado.

Ouvir Cláudia se exaltar em bretão fez Emilie dar uma risada saudosa. Responde à ela no mesmo idioma.
- Não faria mal alguns arqueiros bretões aqui...
Voltando ao português, responde tranquilamente ao pedido de Cláudia.
- Não faço objeção. Gostaria de entrar em contato com Thomas antes... mas talvez seja melhor não perdermos tempo.

Agora sim, era imperioso que ela saísse da sala. Poderia suscitar informações pessoais naquela conversa e talvez não fosse uma boa ideia deixar os outros a ouvirem.

Com o telefone e o tablet em mãos, ela se levanta e sai da sala, discando o número de Marie-Amélie enquanto caminha até uma distância onde ainda pudesse ouvir seus companheiros, caso algum deles se exaltasse. Coloca o telefone na orelha e espera ela atender.

_________________
Aparência: 5 (Rosto de bebê)
Carisma: 5
avatar
Emilie Blanc

Mensagens : 433
Data de inscrição : 02/09/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Filippi - todos

Mensagem  Luiz Filippi em Dom Fev 23, 2014 9:40 pm

*Filippi fica surpreso quando escuta sobre a investigação de Terry e franze a testa*

- Então por muito pouco esse infeliz não nos leva para uma armadilha... Ele deve ter desaparecido com os Sabá, da próxima vez que o virmos já estará com outro rosto... ou não. Emilie, se for falar com os ventrues, não deixe de avisá-los.

*Quando a malkaviana fala sobre seu cargo de primógena, dá um sorriso de lado e pisca para ela*

- Mas você sempre poderá vir conosco quando quiser se livrar da burocracia e ter um pouco de diversão... cuidando da cidade, é claro! E temos Ian também. Tremeres sempre são úteis na investigação, quando sabem o que fazer.

*Quando ela menciona o cargo de xerife, não faz nenhuma menção de negar, ao contrário, faz um movimento positivo vivamente com a cabeça*

- Já fui xerife antes, e não desejo outra coisa. Eu só sei agir, não sei lidar com burocracia. E já lidei com uma cidade tomada pelo Sabá, com um grupo ainda mais diminuto que este. O incidente desta noite talvez possa servir para nos colocar mais perto da união que tínhamos em Joinville.

*Escuta as inferências de Terry e Guille sobre o local de onde vinham os Sabá. Quando eles terminam, sacode a cabeça*

- De minha experiência, eles podem sim estar escondidos nos morros... mas podem não estar. O padrão do ataque foi diretamente contra a Camarilla, contra os nossos. Calhou de ter sido perto do porto, mas poderia ter sido... *gesticula no ar* na Ilha do Governador, se tivéssemos nos estabelecido lá, na base militar. *pensa por dois segundos e acaba refletindo em voz alta* Hector refez minha carteira da reserva... Seria útil dar uma passada na base aérea...

*Pega o tablet e começa a procurar o número de Vladimirovich quando surpreende-se com as duas malkavianas conversando numa língua absolutamente desconhecida - não sabe nem por onde começar a tentar entender algo. Então hesita um pouco e diz*

- Terry, teria como conseguir uma linha segura para mim também? Seguro morreu de velho... Vou tentar falar com os tremere.

*Então raciocina que talvez seja melhor tentar alcançar Beatrice, com quem se entendera antes*

_________________
Carisma 4
Aparência 2
Qualidade: bad boy
Idade aparente: 43
Altura: 1,90 m
avatar
Luiz Filippi

Mensagens : 216
Data de inscrição : 26/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Guille - Todos

Mensagem  Guille França em Dom Fev 23, 2014 11:07 pm

Guille ouve a continuação das discussões, e quando as palavras de Cláudia e Emilie concordam que o poder no mundo mortal do Sabá era importante, Guille pensa imediatamente no que poderia fazer nessa área, ele tinha um ex-lutador que tinha abandonado tudo e morava em uma comunidade, e tinha acesso a algumas informações internas dos traficantes, afinal, ele era um deles, o Toreador sempre quis salvá-lo das drogas, mas Damien não parecia querer ser salvo. E segue respondendo primeiramente as palvras de Constantine.

"- Eles sabiam onde atacar, e onde não atacar, visto que o submarino parece seguro. Imagino que os ataques de hoje possam ser encobridos pela farsa de terroristas loucos que foi divulgada pelo exército não? E os Tremere serem atacados, ou é o primeiro ou o último alvo de uma invasão, porque normalmente eles são paranóicos o suficiente para não baixarem a guarda nenhum segundo."

O tal museu na zona norte intriga Guille, que não sabia o que exatamente poderia ser.

"- Um ataque ao museu o senhor disse? E esse museu estava exibindo o que atualmente? Nenhum Membro reclamava ele como domínio? E outra coisa, a citação de Lobisomens na discussão trás outro problema, ou solução, se soubermos jogar direito, seria possível, se descobrirmos alguns refúgios do Sabá, guiar os Cães da Lua até eles, talvez..."

Guille devaneia um pouco antes de voltar a atenção à conversa.

"- Também imagino que o tráfico possa ser uma boa fonte de informações." - Guille então recebe o celular e o tablet do robô pedidos pela Malkaviana - "- Tenho um contato nessa área, posso ver se alguém apareceu tentando comprar armamentos pesados, ou organizando uma tropa, e sumiços mais estranhos que o costume nos morros."

Emilie e Claudia dão seus votos de confiança para Thomas, a outra criança vampiro. Então as duas começam a discutir algo em uma língua exótica, o que faz o Toreador levantar uma sobrancelha, conversas secretas não eram boas para uma discussão aberta como a que estavam tendo ali, mas a pequena Claudia costumava devanear um pouco, e talvez nem percebera que estava falando outra língua, talvez, mas Emilie se afastar para falar ao telefone era mais um indicativo que alguma informação havia se perdido naquela conversa. E realmente o tablet indicava mais dois Wildcards havendo chegado na cidade, Guille imagina e não é difícil chegar a conclusão que aquele aparelho, ou era mágico, ou atualizado em tempo real pelos Nosferatus, que tinham alguma observação em todas as entradas da cidade, o que seria excelente, se eles não fossem tão cabeça-dura em compartilhar algo sem tirar seu fígado por isso.

"- Sim senhor Filippi, se o senhor tiver como ir na base e descobrir que ações os militares estão tomando para conter os 'terroristas' seria excelente, e talvez se algum armamento pesado desapareceu ou algo do gênero."

Enquanto todos tentavam falar com Cainitas, o Toreador busca uma fonte mais ampla, e manda uma SMS para seu aliado, Damien, o traficante.

OFF: SMS no inbox do narrador

_________________
Carisma: 4
Aparência: 3
avatar
Guille França

Mensagens : 293
Data de inscrição : 04/02/2014
Idade : 25
Localização : Sâo Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vincent - Emilie - Natanael - Guile - Claudia - Luiz - Terry

Mensagem  Vincent Lyon em Seg Fev 24, 2014 7:17 am

Talvez o choque dos acontecimento começava a atingir Vincent naquele momento. Ele não conseguia mais falar coerentemente e muito menos pensar. Percebendo este fato, permaneceu completamente calado diante das palavras dos outros membros que estavam planejando os cargos na Torre de Marfim. Estar em um submarino era novo para Vincent, na verdade ele acreditava que era novo para todos ali, menos para os malkavianos, imaginou.

Emilie não concorda com a sugestão de Vincent sobre fingirem estar jogando. Realmente era apenas uma sugestão e as palavras da Primógena continham um peso de realidade. Mas e os outros clãs? Tremeres, Nosferatus e Ventrues estariam de que lado? Isso poderia ser um peso muito grande contra os planos de todos ali. Mas resolveu não se comprometer.

Luiz chega logo depois cuspido pela máquina para dentro de seu estômago e suas engrenagens metálicas. Era como um grande monstro de metal que parecia abduzir os seres do exterior. Chegava a ser poético. Luiz coloca uma dúvida sobre o clã Tremere, o que era natural. Claudia também fala com Vincent e pela primeira vez ele não sente raiva da criança, ela estava com um ar completamente diferente. Um ar mais adulto.

Guille se pronuncia depois de ficar meditando um pouco. Vincent apenas digeria as palavras de todos. Natanael é o próximo, mas antes de suas palavras ele se desvencilha de Vincent e segue na direção do Brujah exibido. Estaria Natanael se interessando pelo Brujah feioso? Não, claro que não. E se estivesse, Natanael iria saborear da mais pura e límpida vingança Toreador.Antes de Terry chegar ao grupo, Natanael retorna para o lado de Vincent e ele sorri ao irmão de clã. Terry convida o grupo para seguir a uma sala de estar. Os robôs que ele comandava poderiam ser muito úteis na segurança do futuro Elísio. Vincent sorri ao Malkaviano em agradecimento. Ainda estava sem palavras.

A desconfiança a respeito do clã Ventrue parecia ter sido lançada por Luiz e acatada por Emilie. Vincent segue à sala logo depois de Natanael. O Toreador ainda permanecia em silêncio, apenas analisando as conversas. Depois de tudo quase esclarecido, Vincent responde à Luiz, de forma educada:

-Não há com o que se desculpar monsieur Filippi. Não somos frescos. E mostrarei isso quando chegar a hora.

Sorriu ao Brujah. Depois de mais um pouco de conversa, Vincent recebe outro tablet e ele o liga, vendo as fotos dos recém chegados. Havia tido uma pequena conversa com Marie Amelie e Rurik havia chegado junto à ele e Jessica na noite anterior. Jessica e Rurik pareciam muito entrosados, mesmo Jessica demonstrando que não o conhecia, apenas sabia rumores sobre ele. Ela estaria envolvida em algum tipo de traição? Ele lança um olhar complacente à Natanael. Não queria opinar muito, estava ainda devaneando sobre os possíveis traidores dentro da Torre. Seria Vincent tão ingênuo que não havia percebido nada no Ventrue Rurik? Ele se lamenta interiormente por isso.

_________________
Aparência - 5
Carisma - 5
Status na Corte - 3
Prestígio de Clã - 3
avatar
Vincent Lyon

Mensagens : 363
Data de inscrição : 28/10/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Natanael - todos

Mensagem  Natanael Lacerda em Seg Fev 24, 2014 9:55 am

Natanael estava ainda todo encharcado pela água do mar. Estava parado, olhando para a parede enquanto algumas gotas escorriam do seu cabelo e da sua barba cerrada. Não estava prestando muita atenção à discussão e não opinava porque ainda tentava compreender o que havia visto na aura do Malkaviano. O que aquilo queria representar? Era ele algum tipo de criatura sobrenatural diferente? Seria ele uma mistura de vampiro com outra coisa? Se uma máquina tivesse aura, certamente seria daquele jeito...

De qualquer forma, ele não sabia responder a essas questões e focou sua atenção na conversa ao redor apenas quando Vincent respondeu ao Brujah. Natanael não o respondeu com palavras, mas deu um sorriso de canto de boca. Ele receber o desdém de certos vampiros era bastante comum e até gostava de ser subestimado. Assim poderia surpreender melhor aos seus adversários. Esse comentário de Filippi só serviu para explicar o motivo do Malkavian ter chamado apenas a Guille e ao Brujah para conversarem à mesa. Isso era preocupante, porque Membros sábios compreendem que a periculosidade de um vampiro é medida pela pureza de sua Vitae e, principalmente, pelos anos vividos, e não pela aparência física que ele mantem desde antes de seu Abraço. Subestimar alguém pela aparência era perigoso entre os vampiros...

Enquanto a conversa continuava, hologramas foram projetados sobre a mesa e todos discutiam, empolgados, a respeito de Membros infiltrados, traições, possíveis lugar para a base Sabá e outras questões. Todos lançavam olhares suspeitos para todos e a paranoia típica dos Membros voltava a aparecer. Quando o anfitrião fala sobre algumas baixas, parecia não possuir qualquer emoção e Natanael viu isso como um indicativo para suas suspeições acerca da natureza daquele Malkavian. Nisso, Guille oferece seu dojô para treinamento e um local de reuniões. O Toreador lutador se mostra claramente interessado na Primógena Malkavian e isso chama a atenção de Natanael, claro que isso ficaria para o jogo do Elísio, não era tão importante agora:

_Acredito que o dojô do senhor Guille seja um bom local para declararmos como Elísio, por ora. Emilie, tente marcar a reunião com os Ventrue levando isso em consideração. A não ser que você já tenha outro local em mente. - dizia enquanto a bailarina saía da sala discando no telefone.

A discussão acerca do Sabá continua e agora eles debatiam sobre as alianças deles com os humanos. Apesar de raras as alianças entre Sabá e mortais, certamente eles tinham a capacidade para controlar o submundo e o tráfico na cidade. Claudia então lembra que todos da Camarilla praticamente acabaram de chegar e não tiveram tempo de expandir suas raízes sobre o mundo mortal. Ela também diz que procurará o Nosferatu Carlent e Emillie a permite. Natanael então diz:

_Irei acompanhar você na procura pelo Nosferatu, ma petite. Aproveitaremos para conduzir aos dois que estão com eles ao local para onde decidirmos ir a partir daqui.

Ele olha para Vincent e ia estender o convite, mas achou melhor não colocá-lo em risco. Natanael não era o melhor em combate físico, mas também não era apenas um enfeite para o Elísio. Sua profissão exigia que ele fosse rápido, discreto e mesmo furtivo. Além de exigir dele um preparo físico praticamente atlético e conhecimentos em segurança. E ele não estava pensando em sua profissão de poeta...

O Toreador pega o celular e o tablet oferecidos pelo anfitrião e vê as imagens das recém-chegadas. Havia mais uma rosa, e muito bela por sinal. Esse poderia ser um bom presságio.

Enquanto ouvia os demais falando sobre o ataque e o que deveriam fazer para impedir o Sabá, Natanael ainda pensava sobre a aura de Constantine e revolve dividir essas informações. Projeta na mente morta-vida de Vincent e Claudia o que ele viu na aura do Malkavian e joga apenas uma palavra em meio às imagens: "conhecem?"

Off: Usa Telepatia para enviar as imagens e a palavra para Vincent e Claudia. A aura é composta por códigos binários, estilo Matrix. Não é pálida também, o que assustou ao Natanael...

_________________
Natanael Lacerda - Toreador
Aparência 5
Rubor de Saúde

Status 2
Prestígio de Clã 2
Senhor de Prestígio - Victoria Ash


"A poesia é decerto uma loucura." (Sêneca)
avatar
Natanael Lacerda

Mensagens : 152
Data de inscrição : 04/02/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Terry Constantine - Claudia Dembrough | Emilie Blanc | Natanael Lacerda | Vincent Lyon | Luiz Filippi | Guille França

Mensagem  Narrador em Seg Fev 24, 2014 7:10 pm

Todos, sem exceção recebem novos celulares e tablets, todos com a mesma tecnologia de criptografia de sinal que tinha o celular dado a Emilie e tudo de última geração. Os novos tablets indicavam três novos membros nnão estavam no Ellisium, mas cujas chegadas estavam previstas para essa noite: Xica da Silva do Clã Toreador, Fátima Mansur do Clã Tremere e Paolo Auristos do Clã Brujah. Entregando um celular e um Tablet para Filippi, Terry diz:

'- À vontade, podemos fornecer quantos desses a corte precisar. Nossa tecnologia está à disposição.'

O Lunático faz uma consulta no dispositivo de controle da mesa e surge uma lista com as últimas movimentações financeirsa do Museu, campanhas em que esteve envolvido e o calendário de atividades. Tudo, absolutamente tudo, remetia a uma mesma empresa que era a mesma que administrava o Museu do Cairo. Terry comenta:

'- Seguidores de Set na cidade. Também foram atacados... mas porque?'

Terry fica olhando pensativo para o mapa holográfico.


avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

François Carlent - Claudia Dembrough

Mensagem  Narrador em Seg Fev 24, 2014 7:35 pm

O telefone não demora a ser atendido, mas ninguém fala do outro lado.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 34
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

VINCENT - EMILIE - NATANAEL - GUILE - CLAUDIA - LUIZ - TERRY

Mensagem  Vincent Lyon em Ter Fev 25, 2014 6:09 am

Vincent pode perceber que novos membros do clã Tremere, Brujah e Toreador estavam chegando. Preocupou-se imediatamente com eles que poderiam ser atacados quando de sua chegada. E quando analisava a mulher que seria de seu clã, ele deslizou o dedo pela tela e a foto de François Durriex apareceu. Pelo que se lembrava, François tinha ficado no Elísio. Ou ele estava enganado?

Segundo Thomas, o irmão de clã era um anarquista ou algo parecido. Mas seria mesmo? Ele seria outro infiltrado dentro da corte. Vincent pensava, pensava, pensava até que o toque de Natanael em sua mente mostra a aura de Terry e ele se impressiona com isso. Na verdade nunca em toda a sua vida tinha visto um padrão daquele tipo na aura de algum outro ser vivo ou morto. Virou seu rosto na direção de Natanael e proferiu:

-Nunca. É a primeira vez.

E completando sua frase para Natanael e para quem estivesse perto ouvir:

-Acabei de ver no tablet e monsieur Durriex ainda está na cidade. Natan....você conseguiria contatá-lo mentalmente para ver se ele está bem? Não o vi no Elísio e acredito que ele tenha saído e seguido ao seu refúgio na noite anterior. Pode estar protegido de alguma forma.....ou não.

Vincent volta seus olhos ao tablet que recebera junto de um celular novo e suspira fundo:

-Monsieur Haulot comentara mais cedo que ele poderia ser um anarquista....seria ele outro infiltrado?

Deixou a questão no ar. Ouve então que Seguidores de Set estavam na cidade e foram alvo do Sabá. AS serpentes eram perigosas, tanto aquelas que se diziam independentes quanto aquelas que faziam parte do Sabá.

-Talvez os Seguidores de Set tenham sido atacados por não compactuar com algo que o Sabá desejava deles. Apoio talvez?

_________________
Aparência - 5
Carisma - 5
Status na Corte - 3
Prestígio de Clã - 3
avatar
Vincent Lyon

Mensagens : 363
Data de inscrição : 28/10/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enseadas - O fundo das baías, lagos, lagoas, praias e mar aberto do Rio de Janeiro

Mensagem  Cláudia Denbrought em Ter Fev 25, 2014 6:20 am

A malkaviana se desorientou ao receber a imagem daquela aura. Foi pega completamente desprevenida por Natanael. Ela não tinha feito aquele tipo de testes antes, uma vez que o elísio deveria ter estado protegido contra o uso de disciplinas e era tanta a adrenalina da noite que nem sequer imaginou fazê-lo no submarino. A resposta de Emilie foi certeira. Arqueiros bretões... Cláudia ficaria satisfeita se tivesse alguns deles ali no Rio de Janeiro. Não só arqueiros.

Mas pensava consigo. Se Marie-Amelie, Thomas, Emilie e a própria Cláudia estavam ali, não custava sonhar com Lizaig e Morgane. Custava?

Ao telefone ela apenas balançou a cabeça, negativamente, para Natanael. A ligação fora atendida, mas nenhuma voz pôde ouvir.

- Senhor Carlent. É Cláudia, do clã malkaviano. Tudo bem convosco? Estou reunida com alguns membros que sobreviveram ao ataque no elísio e estamos verificando como estão os outros, com os quais ainda não conseguimos contato depois de sair da Ilha Fiscal. Provavelmente já sabe, mas perdemos vários cianitas. Os três candidatos a príncipe, os arcontes, Hildergand, Maria Bonita, Mattheus Olston. E antônio Conselheiro está desaparecido. O ventrue Rurik Price sabotou as defesas mágicas do elísio. E, Luna Strongest, malkaviana, provavelmente era uma traidora também.

Enquanto falava com o vampiro que estava do outro lado da linha, que imaginava ser Carlent, embora não tinha certeza, a criança refletia sobre a última informações de Terry. Os filhos de set estavam na cidade. e também foram atacados. O sabbat realmente tinha feito uma operação sincronizada!

_________________
Aparência - 5
Carisma - 5
avatar
Cláudia Denbrought

Mensagens : 84
Data de inscrição : 02/10/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Enseadas - O fundo das baías, lagos, lagoas, praias e mar aberto do Rio de Janeiro

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 14 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 9 ... 14  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum