[CAERN] Clareira Central

Página 40 de 40 Anterior  1 ... 21 ... 38, 39, 40

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hom

Mensagem  Iurd Byron em Qui Fev 06, 2014 9:03 pm

Águia Real - Sangue Frio / Todos que vão para missão

Águia Real estava com Sangue Frio no momento que Falcão de Prata chega, aparentemente todos estavam prontos, os membros da vingadores já tinham aprendido o dom, Guaxinim estava forte e ciente da jornada e todos os outros já haviam se reunido, faltava apenas do Líder da Seita para que eles pudessem partir.

No momento que Falcão de Prata faz a pergunta, Iurd se levanta e diz para Yuran:

-'Cara, obrigado mesmo, pode ter certeza que não vou desapontar você e farei o meu melhor com ela! Até a minha volta, meu amigo. Mande um abraço pro viadinho do Viktor.'

O Athro sorri para o Theurge e então se aproxima dos demais garous, ele fica sempre PRÓXIMO A SUA MATILHA, e agora que tinha algo útil a fazer, ele diz:

-'Tudo pronto Falcão de Prata, tenho apenas uma idéia. Como vamos passar muito tempo unidos, e enfrentaremos muitos combates como uma matilha, gostaria de propor que fizéssemos um Ritual que nos unisse como uma matilha temporariamente, para que os dons dos Galliards pudesse nos ajudar independente de qual matilha pertencemos. Tem como isso ser feito?'

Após essas palavras, ele olha para Elo Espiritual e Oráculo das Sombras.

_________________
Hominídeo - Ahroun - Presa de Prata - Anjos Guardiões - Inimigos da Wyrm - Cabana da Lua
Aparência 04
Raça Pura 05
Fúria 07
Características notáveis: Magnetismo Animal, Coragem Infecciosa
Cicatrizes evidentes: Cicatriz profunda em forma de [ / ] no peitoral
avatar
Iurd Byron

Mensagens : 329
Data de inscrição : 27/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Dimas - Esquadrão da Fúria

Mensagem  Convidado em Qui Fev 06, 2014 9:23 pm

Quando Cabelinho de Fogo lhe responde, Dimas o olha com um olhar terno. Muita coisa estava acontecendo, mas o garoto era apenas um garoto. Se os últimos acontecimentos já deixavam o Theurge sem dormir direito, imagina o que isso fazia com o pequeno Ragabash. Dimas afaga seus cabelos, respondendo a ele com um sorriso. Era crueldade colocar uma criança a lutar na Guerra Sagrada, mas a sabedoria de Gaia prevalece. Nessa hora, Dimas resolveu que passaria a cuidar e prestar mais atenção no garoto, que o lembrava de seus irmãos adotivos. Isso é, caso ele não tivesse Parentes para fazer isso...

Mayra então apresenta para a matilha o rapaz que a havia abraçado. Havia uma amizade verdadeira entre os dois que era perceptível. Dimas então se apresenta a ele e à garou que acabou de chegar assim que Sopro da Tempestade termina:

_Peço desculpas por me apresentar antes de nosso alfa, mas já o fazendo, é um prazer conhecê-los Ferida do Vento e Garras-do-Tigre-das-Sombras, meu nome é Dimas Soares, Guardião dos Segredos. Cliath Theurge dos Filhos de Gaia. Estamos reunidos para que Voz de Taranis e Sopro da Tempestade nos coloquem em dia com os últimos acontecimentos e com os próximos passos que devemos tomar. Nossa matilha já tem uma missão para hoje a noite.

Ele se cala novamente e espera que Esquecido, Mayra e Kor tome a palavra.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Hrist Thordsvedt (Hominídea) - Ceifador e Erik / Guaxinim e Matilha

Mensagem  Hrist Thordsvedt em Qui Fev 06, 2014 10:22 pm

Hrist se aguaixara para tocar o totem e lhe faz um breve afago em sua cabeça de forma carinhosa, sussurrando suavemente para o espírito com quem já tinha alguma intimidade:

- Obrigada...

Ela olha para Erik a encarando e por um segundo não entende o terreno no qual ele estava pisando e, quando finalmente o faz - ela estava ficando melhor nesta coisa de malícia - fica subitamente cor de rosa. Era óbvio que ela não tinha qualquer interesse amoroso no galliard desconhecido e agora ela se perguntava se fizera algo impróprio para dar esta impressão...Ela balbucia nitimanete sem jeito uma resposta qualquer.

- Ahm....todo filho de Fenris precisa de cicatrizes para contar suas histórias... E de qualquer jeito isso aqui só foi um arranhão.

E então Hrist é agarrada por trás e Ceifador praticamente mija em cima dela para marcar território e se por um lado ela gostava de sua atitude, por outro sabia que ele deveria procurar a descrição... Ela era sua fêmea e isso era inegável, mas a relação dos dois era errada e eles não precisavam jogar isso na cara do caern inteiro. Ela o olha nos olhos, falando quase entre dentes:

- E você não dê motivos para que falem contra nós. Se controla...

Mas ainda assim faz um afago em seu braço, por onde a segurava, antes de se soltar de Ceifador e aguardar...Aprendera o dom, agora era com os chefes.

_________________
Raça pura: 5 (Ascendente Notável: Filha de Gogol Fangs-First)
Aparência: 3 (Cicatriz na face esquerda, cega deste olho)
Fúria: 6
Qualidade Boa reputação (A de ser muito justa, porém muito rígida)

" Vingança não é um motivo valido, vingança é uma resposta emocional. Não, não é vingança: é punição."
avatar
Hrist Thordsvedt

Mensagens : 236
Data de inscrição : 19/04/2013
Idade : 30
Localização : Sampa City

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Julian Kraken "Esquecido" (Hominídeo) - ESQUADRÃO DA FÚRIA / INGVILD / BALIK

Mensagem  Julian Escott em Sex Fev 07, 2014 1:55 am

* Julian deixava seu meio sorriso muito branco reinar em sua fronte enquanto aguardava respostas para suas ultimas palavras. Estava assumindo aquela matilha e não sabia ainda qual seria seu grau de aprovação ou se alguém iria se opor. Na verdade, a pergunta que realmente importava era se Mayra iria se opor. A espera se revela bastante curta quando o Andarilho do Asfalto, Derick Crackero, inicia sua apresentação e adianta que não tinha a menor pretensão pela liderança. Ainda, revela que o outro Galliard estava colocando todos a par da situação da matilha. Estava prestes a responder ao cumprimento do negão andarilho quando um muleque ruivo que nem devia ter carteira de motorista ainda também se apresenta. *

" Mais um Roedor na matilha, isso é bom.. mas roedor de ossos adolescente é foda.. ao invés de roubar carteira acabava roubando os porno.. rs "

* Tudo corria bem até o momento, mas é então que Mayra finalmente se manifesta. Ela estava bastante séria e o Roedor sabia a extensão da dor que havia provocado, por isso apenas segue escutando. Apesar das palavras duras, Julian reconhece que ela havia sido mais branda do que o esperado. A Ahroum sempre tão feroz estava lhe dando uma chance para provar que poderia ser um bom líder, e Esquecido sabia que seria. Sem tirar os olhos da Fianna, Julian ouve as palavras até o final e permanece inexpressivo por alguns instantes. Muita coisa acontecia ao mesmo tempo e muita coisa ainda se passava em sua mente. Ainda assim, pela primeira vez em algum tempo, não se sentia mal. Estava com o espirito leve apesar de tudo. As ultimas palavras de seu pai, ditas poucas noites atrás, voltam à memoria: *

" Não cometa o mesmo erro que eu.. não se negue a chance de liderar.."

* O momento era tenso, Julian sabia, mas não consegue evitar um leve sorriso muito introspectivo. Talvez, de algum lugar, Isaack Kraken estivesse assistindo seu filho assumir a liderança de uma matilha.. e talvez ele estivesse sorrindo. E tudo aquilo parecia muito natural para o Roedor de Ossos por algum motivo estranho. Não chega a pensar nisso por muito mais tempo. Os garous ao redor requeriam a atenção de Esquecido, e era hora dele se posicionar. Recebe em silencio o cumprimento muito formal do Filho-de-Gaia, Dimas, bem como o cumprimento bem mais expansivo do Senhor-das-Sombras chamado Kor. Kor fazia piadas sobre o próprio nome e aquilo foi o suficiente para arrancar um sorriso descuidado do novo Alpha da Esquadrão da Fúria. Planejava responder a todos e já estava com as palavras na ponta da lingua quando Balik, o Wendigo da matilha, se faz notar do nada, dando um abraço em Mayra. O Roedor assiste a cena, bastante consciente de que aqueles dois eram as ultimas testemunhas dos horrores vivenciados na missão do hospital, onde a matilha havia sido dizimada em um ataque que poderia ter ocorrido de forma distinta. Sem demonstrar incomodo diante do sentimentalismo que tomava lugar, o Roedor apenas ouve as conversas que se seguem sem participar. Os risos, os gracejos e as informações realmente valiosas não passam despercebidos. É nesse momento que uma desconhecida se aproxima e se apresenta, deixando claro que estava ali para reforçar a Esquadrão da Fúria. A noticia de ter ainda mais uma Ahroum no grupo anima o Roedor de Ossos, que aproveita que o Filho de Gaia estava se apresentando para resolver tudo o que tinha para resolver. Olha primeiramente para Mayra, a quem responde de forma muito tranquila, demonstrando não haver raiva ou sangue ruim entre eles: *

- Eu num to aqui pra decepcionar ou mandar mal com ninguém, também não to aqui só porque eu queria essa liderança como um troféu ou um capricho. Eu mandei logo a real pra essa matilha e dei a letra que eu discordava da forma como as coisa tavam indo. Eu num escondo o que penso não, tantu é que desafiei o antigo Alpha por conta das fita da noite passada. Não sei porque ele me passou essa liderança.. mas era eu ou você. E você pode ligar pro cara e perguntar que motivos ele teve.. não tenho nada com isso e porra nenhuma pra esconde.

* Ainda olhando para a Ruiva, ele esboça um sorriso que nem chega a mostrar os dentes, respira fundo e prossegue: *

- Mesmo assim, valeu pela confiança, Ruiva. Eu to aqui pra correr junto com vocês, pra sangrar com vocês e pra mata com vocês. Vou faze essa porra toda dar certo, e acho que no fundo você sabe disso. Assim como eu agora sei o peso das minhas ações. Mas depois a gente termina essa ideia. Tenho coisa pra caralho pra te falar.. e o "povo bom" ta envolvido na fita. Mas isso fica pra outra hora..

* Tendo dito tudo que tinha pra falar, se aproxima um pouco mais da Furia-Negra recém-chegada e emenda: *

- Sou Julian Kraken, Esquecido, Ahroum, Adren, Líder dos Roedores de Ossos nessa Seita e o mais novo Alpha da Esquadrão da Furia. Cê deve ser indicação do Falcão de Prata, né não? Bem vinda, guria, essa é a sua nova matilha.

* Faz um sinal de cabeça como gesto de boas vindas e esboça um sorriso muito despreocupado, embora houvesse notado sua grande beleza e a quantidade estarrecedora de fúria que emanava daquela Garou. Logo depois, se posiciona de modo que pudesse olhar e ser visto por toda a matilha, e lhes fala: *

- Nenhum desafio pela liderança por enquanto, então é hora de agilizar a vida aqui. Valeu geral pelos cumprimentos, eu to honrado pela confiança que cês tão colocando em mim. Não vou ficar de discursinho porque o papo que eu quero dar pra vocês é reto. Essa matilha já passou por muita coisa, já viu muito sangue e já se cobriu em glória. Infelizmente, enterramo alguns irmãos recentemente e estamos recomeçando.. e confio em vocês para recomeçar direito. Eu não tenho frescura, e não quero que tenham frescura comigo. Sou o líder de vocês, mas acima de tudo sou irmão. Tudo o que eu peço de vocês é que sigam o dogma da Doninha, lutem como demônios, façam a puta da Wyrm sofrer e não roubem a minha cerveja! Vamos fazer Gaia ter orgulho dessa matilha!!

* Ri abertamente, com os dentes muito brancos se revelando. O Roedor de Ossos se revelava bastante expansivo e não tinha muitos puderes em falar o que pensava. Se volta então para para Kor, captando a atenção dele com os olhos e completando, para que todos ouvissem: *

- Cumprimentem a nossa nova irmã enquanto nosso Galliard Senhor das Sombras de nome estranho(kor) vai contar pros recém chegados as ultimas noticias da matilha e vai falar sobre a missão de hoje a noite.

* Terminado o pedido para Kor, adiciona para a matilha: *

- Como Alpha da Esquadrão da Fúria e líder dos Roedores de Ossos, tenho que participar da reunião de lideres que vai rolar daqui a pouco. Não vou ficar fora por muito tempo, então agilizem o que tiverem que agilizar e estejam prontos. Quando eu voltar, a Esquadrão da Fúria parte pra missão.

* Dito isto, apenas segue até Dereck e estende a mão para ele, finalmente cumprimentando-o efetivamente. Assim que o cumprimento for dado, estende também para Paulo, Dimas e Kor, que eram os novos membros que ainda não conhecia. Feitos os cumprimentos, também estende a mão para Balik, a quem diz: *

- Sei que foi e tá sendo foda.. mas bem vindo de volta.

_________________
Julian Escott Kraken - "Esquecido"
Alfa da Esquadrão da Fúria e líder dos Roedores de Ossos da Seita
Ahroum - Roedor de Ossos - Adren

Aparência 5 (-2, cicatriz na face)
Fúria 6
Raça-Pura 0

Características notáveis:

- Uma série de cicatrizes de batalha que se evidenciam em seu peito, costas e ombro, sendo a mais notável um corte profundo que percorre sua face.
avatar
Julian Escott

Mensagens : 221
Data de inscrição : 16/02/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Caern de Cura da Floresta da Tijuca [Próximo a Clareira Central] - em Hominídeo

Mensagem  Michell Corbeill em Sex Fev 07, 2014 3:59 am

Interações com os Senhores da Sombra, Peregrinos Silenciosos e Júnior Garth.
Em Hominídeo

O Garou se atenta, após a saída de Trovão Inquisidor, nas palavras do Peregrino quanto as fraquezas potenciais daqueles vampiros egípcios. Enquanto andavam, Michell já ia pensando em algumas ideias que ele poderia colocar em prática caso encontrasse com um desses sanguessugas em seu caminho, como bem havia sugerido Vingança de Osíris.

Assim, o Andarilho acaba por retornar à praça que lhe havia servido de portal minutos antes. Como o Senhor das Sombras dissera, havia um furgão preto onde homens com ternos italianos impecáveis os esperava. Michell adorava ternos impecáveis, o que acabou por lhe retirar a frustação de tão poucas informações que havia encontrado na rede dos Andarilhos. Talvez, após aquela missão ele mesmo poderia criar um artigo atualizando as informações de lá. Enquanto isso não poderia acontecer, o Garou se limitava a cumprimentar os Parentes, esperando que o primeiro dos Peregrinos entrasse no veículo para fazer o mesmo..
________________________________________________________________________________________________________
.

_________________
avatar
Michell Corbeill

Mensagens : 264
Data de inscrição : 03/02/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Paulo Pereira - Mayra - Dimas - Dereck - Kor - Esquecido - Balik - Ingvild

Mensagem  Paulo Pereira em Sex Fev 07, 2014 5:34 am

Mayra, a Ruiva Brava apresenta o homem que a abraçara. Mas Cabelinho achou que ela iria apresentá-lo como seu namorado e não como um membro da matilha. O nome dele era Balik. Paulo ficava se perguntando quem escolhia os nomes daquelas pessoas. Um se chamava Caldo Kor, o Outro Cream Cracker, o outro Balik? Resolveu não ficar matutando estas coisas em sua cabeça, ele queria saber mesmo o que estava acontecendo de verdade naquela matilha e saber quais seriam os próximos passos a serem dados.

E então uma mulher que parecia ser mais homem que muito homem ali na matilha chega. Ela usava um vestido tão colado que os músculos dela pareciam querer pular para fora do pedacinho de tecido que ela usava. Cabelinho, ao vê-la, dá um passo para trás e arregala os olhos.

”Ela é traveco? Olha o braço dela.....dá minhas duas coxas.”

A mulher se apresentava como Ingvild, outro nome estranho. Seria mais legal se ela se chamasse Charlenne, Rosicleide, Rochilene. Mas Ingvild? Cabelinho resolveu ficar com a boca fechada antes que levasse um soco dela e perdesse seus dentes. Fora que ela tinha uam cara de louca que chegava a assustar.

Caldo Kor se apresenta à Balik, não sem antes ter meio que participado da risada de Cabelinho. O Caldo Kor parecia ser um pouco mais sério, mas isso não o impedia de dar algumas risadas de vez em quando, imaginava Paulo. Dimas afaga os cabelos cor de fogo de Paulo e o Ragabash fecha um dos olhos e faz uma careta, dando um sorriso para o Dimas caladão. Sentiu que podia confiar nele e no Cream Cracker de primeira. Depois Dimas se apresenta à Balik e à doida varrida.

Esquecido então fala como se fosse o líder do morro, da fita, dos baguio. E Cabelinho gostava daquilo. O jeito que ele falava e agia era bem parecido com os catadores do antigo lixão, dos quais Paulo ainda tinha amizade. Sentia que aquela matilha poderia ser sua família já que ele nunca teve uma. Ou teve? Quando Cabelinho ouve Esquecido dizendo “povo bom”, ele meio que sussurra para o Cream Cracker, completamente inocente de suas dúvidas e parecendo uma criança, já que ele era quase uma:

-Quem é o tal “povo bom”? Tu sabe?

Independente da resposta do Cream Cracker, Cabelinho continua ouvindo Esquecido, com a máxima atenção. Não sabia exatamente qual era o dogma da Doninha e desta vez sussurra para Dimas Caladão, do mesmo jeito que fizera com o Cream Cracker:

-Ei....Dimas...qual o dogma da Doninha?

E Esquecido continua falando e comenta de uma missão. Cabelinho ia perguntar sobre a missão para Cream Cracker, mas é impedido pela aproximação de Esquecido que estende a mão para ele. Enquanto Cabelinho aperta o mão do Alpha e Líder dos Roedores, ele fala:

-Pensei que era só eu que achava que o nome dele era estranho. Valeu por aliviar meu lado.

Mostra a língua e meneia a cabeça na direção de Caldo Korr. Depois de apertar a mão do Alpha, Cabelinho se dirige à Balik, dizendo:

-Prazer Balik. Sou Paulo Pereira, mais conhecido como Cabelinho de Fogo. Ragabash, Cliath, hominídeo dos Roedores de Ossos. Seja bem vindo.

Estende a mão para ele e sorri. Depois se aproxima de Ingvild, não muito e com as mãos no bolso e olhando para os próprios pés, ele profere, todo tímido:

-Ahm.....oi Ingvild. Sou Paulo Pereira.....erm...hum....Ragabash,...........hominídeo............Cabelinho de Fogo.....................hominídeo....não, pera, já falei isso né? Ih.....me enrolei todo.

Levanta a cabeça, olhando Ingvild nos olhos e ela pode perceber um imenso sorriso na cara do Ragabash.

-Desculpa.....agora vai. Paulo Pereira, Cabelinho de Fogo, hominídeo, Cliath, Ragabash dos Roedores. É um.....prazer.

Ingvild era bem bonita, mas muito mais intimidadora e isso fez com que ele se enrolasse todo. E volta para onde estava antes tão depressa quanto conseguira. Se tivesse uns quatro anos ia se esconder atrás das pernas do Cream Cracker ou do Dimas Caladão. Mas não era legal fazer isso na sua idade.

_________________
Roedores de Ossos - Ragabash - Hominídeo - Cliath
16 anos
Carisma 4
Aparência 2
avatar
Paulo Pereira

Mensagens : 278
Data de inscrição : 31/01/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [CAERN] Clareira Central

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 6:46 am

Ceifador estava com um leve fogo dentro do seu peito, a chama do ciúme se acendera e ficara ali extremamente desconfortável. Não sabia lidar muito com suas emoções e assim tinha vontade de ser o mais selvagem possível, mas precisava ser diplomático e então ficara mais na sua.

Aprendera o dom e com calma fala perto do totem.

-Espero honrá-lo, minha ações serão voltadas a sua honra e ao seu nome.

Ceifador, então escutara Hrist falando com ele, sobre cautela, sobre descrição. E assim ele aceita concordando com a cabeça, respondendo ao seu afago com uma mão na cintura da Phlodox e um leve aperto em suas costas, demonstrando carinho, assim ele permanece ao seu lado, respeitosamente tranquilo e mais calmo aparentemente.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Mayra - Esquadrão

Mensagem  Mayra Hildebrand em Sex Fev 07, 2014 7:07 am

Controlar as emoções nunca foi o forte de uma Fianna e a presença de Julian desestabiliza Mayra. Seus olhos encontram os olhos de Julian e ela olha pra ele com profundidade, demonstrando uma mistura de sentimentos, mas onde era evidente que a mágoa havia superado até mesmo o afeto. A dor, superado a alegria. Séria, a Fianna apenas resonde para o Roedor:

- Eu só espero que você não me decepcione pela terceira vez. Faça por merecer a confiança que Kiba depositou em você.

Nunca coisa Julian estava certo, as opções de Kiba eram ela e ele e mesmo assim ele a preteriu. Era a segunda vez que por escolha, Mayra era derrotada naquele dia e por um instante ela abaixa a cabeça, olhando para o chão e refletindo sobre sua vida e os dilemas dela. O processo só é interrompido porque ao ouvir as apresentações, ela se lembra da cortesia Fianna e da necessidade de palavras para receber mais um membro da Matilha. A Fianna, então, volta sua atenção para a nova membro da matilha e diz para ela:

- Bem vinda à esquadrão, irmã. Eu sou Mayra, a Voz de Taranis, Adren Lua Cheia dos Fianna. Ex-Beta dessa matilha. Seja muito bem-vinda e espero que esse novo começo que essa matilha vive seja o começo de uma era de Glórias para a Esquadrão da Fúria.

E, notando a pergunta de Cabelinho de Fogo, a Ahroun logo responde:

- Povo bom é o povo do sonhar, aliados de minha tribo e que fazem parte de minha história. Alguns chamam de fadas, os Fenris de anões, eu prefiro Changeling.


Não tinha ideia do que Julian tinha para falar do povo bom, e nem sabia se queria ouvir. Teria que aprender a lidar com Julian que com indas e vindas bagunçava sua cabeça e sua vida...

_________________
Mayra Hildebrand - Voz de Taranis
Hominídeo / Fianna / Ahroun / Tuatha de Fionn
(Aparência 5 / Fúria 7 / Raça Pura 5)
**** Voz do Rouxinol ****
**** Magnetismo Animal ****

Cicatrizes de Batalha
* Cegueira dos Dois Olhos (provocada por um Rastejante Nexus)
* Cicatriz Profunda na altura do abdômen (provocada por um Ancião dos Dançarinos da Espiral Negra)
avatar
Mayra Hildebrand

Mensagens : 429
Data de inscrição : 28/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Esquadrão — Hominídeo

Mensagem  Balik Samir em Sex Fev 07, 2014 7:27 am

O abraço acalentado de minha irmã era suave e gentil, o que não condizia com sua personalidade explosiva, violenta e muitas vezes impaciente. No fundo, ela era apenas um vaso de planta, que após cair tanto da janela, hoje vive no baixo, com todos os cacos remendados e somente com a terra que lhe restou. Ela precisa apenas de mais terra e bastante sol, para florescer e dar frutos novamente.

Rapidamente sou introduzido aos novatos por Mayra, e minhas suspeitas se revelam verdadeiras, e se fosse ontem, teriam-me causado um misto de aflição, perturbação,e preocupação perante a vida de cada um ali presente. Mas hoje, hoje não me preocupa mais a vida, pois tenho a absoluta certeza de que todos iremos morrer. O que me preocupa é se vamos conseguir diminuir o mal que assola este mundo, pelo menos um pouco, antes de partirmos. E é com esta feição fúnebre que os cumprimento, não com meras palavras, mas com os olhos daquele que conhece a morte.

O engomadinho pronuncia-se e muitas palavras devagam pelo ar, querendo mostrar-se útil e fazer-se necessário, mas as palavras "ex-membro" martelam em minha cabeça, que já começava especular o motivo pelo qual  tinha se tornado ex. Apenas meneio a cabeça para parecer-me interessado.

Esquecido também decide abrir a boca e começar a falar, e falar e quando me dou conta, sua mão pairava estendida diante de mim aguardando uma certa aceitação de minha parte. Compartilho do gesto, toda essa falação e almejo pela responsabilidade não condizia com o Esquecido de ontem, e provavelmente eu fazia ideia do que estava acontecendo.

- Obrigado.— apertava-lhe a mão com força, demonstrando confiança e aceitação honesta de minha parte, chegando bem próximo ao seu rosto, murmurei — Conheço bem sua dor, estou orgulhoso de sua decisão, não esperava isso do você a qual conheci ontem, — e elevando subitamente a voz — Boa reunião e traga-nos nos boas notícias. — dando um tapinha leve em seu ombro.

O ruivinho aparece subitamente à minha frente também com a mão esticada, parecia um filhote perdido e desamparado. Respondo o gesto para não deixar-lhe sem graça.

*Se ele havia sido aprovado como Cliath, devia agir como tal. Pode ser que esteja apenas querendo se passar de inocente e frágil, roedores de ossos sempre malandros...argh...*

Permaneço onde estou apoiado em um tronco, aguardando e observando.


Última edição por Balik Samir em Sex Fev 07, 2014 9:36 am, editado 1 vez(es)

_________________
Hominídeo Ragabash Wendigo - Cliath
Carisma 3
Aparência 2
Fúria 5
avatar
Balik Samir

Mensagens : 130
Data de inscrição : 30/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Dereck (hominideo) - Julian/Cabelinho de Fogo/Balik

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 7:30 am

O garou abre a boca para responder, mas entao a sua mão é pega num cumprimento e o Galliard se limita a rir e a acenar com a cabeça respondendo à apresentação.

- Às ordens chefe!

Quando este sai, ele volta novamente a atenção para Cabelinho mas então é a vez de Mayra interrompê-lo respondendo ao Ragabash, e o galliard apenas ri, novamente.

Diante disso ele se limita a olhar para Cabelinho que estava visualmente pronto para se mijar se ela respondesse com a voz um pouco mais alta e fica do lado dele, olha para a fúria negra e levantar as sobrancelhas diante da 'presença' da mesma.

- E eu sou Dereck Ya Mavmizi, ou simplesmente Cracker, Galliard, hominídeo dos Andarilhos do Asfalto... Então é isso, além de ser um conhecedor de uma porrada de lojas virtuais de suplementos se vc precisar.

Ele dá um riso de boa pra mesma e um leve aceno para o Wendigo que permanece calado, esperando por qualquer reação menos fechada por parte dele... entendia que o mesmo poderia estar passando por algum tipo de estresse pós trauma, por isso decide dar tempo ao cara.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Esquadrão

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 7:35 am



Ingvild caminhara com convicção para chegar ao encontro do Esquadrão da Fúria. Todos podiam ver o seu tamanho, uma mulher de 1,80, branca com a pele alva como a neve, cabelos longos e loiros e olhos claros. Mas nada disso era tão evidente quanto seus músculos bem trabalhados com afinco, delineados em horas e horas de academia. Era exagerado, era opressor a alguns olhos e para outros ela perdia até mesmo a sua feminilidade. Mas quem se importava? Ela não se importava com isso, até gostava ao ver garous com a estrutura física mais parecendo raquiticos com anemia do que verdadeiros combatentes e isso que ela era, uma combatente guerreira, com músculos que fariam inveja a homens com ausência de força e barrigas proeminentes, faltava uma camisa da No pain no Gain, mas não, INgvild era rica e usava um vestido Dolce Gabana, uma bolsa prada e sapatos altos da Gucci, acompanhados do perfume forte, Givenchy, era algo meio discrepante, uma montanha de músculos, mulher, vestida com um alto padrão e ainda por cima se apresentando ao caern de mais valorosos guerreiros em uma luta apocaliptica. Mas não importava essa era Ingvild.

INgvild fora oprimida durante anos e anos por causa da sua condição impura, era na verdade filha de uma fenrir e fora adotada pelas fúrias-negras a quem defende ferozmente. Era uma mulher bela, rica que que possuia roupas caras e aparentemente se vestia bem, para os padrões ditados pelos estilistas da moda global. Era uma mulher que gostava de exalar poder, mas era também uma mulher temperamental, com a cara amarrada, bruta que exalava confiança, mas ao mesmo tempo demonstrava ferocidade, era imponente ao mesmo tempo e que lutava contra qualquer forma de opressão, alguém que iria bater antes de apanhar.

Ingvild estava com uma certa apreensão, afinal, gostaria de saber se em sua matilha teria algum párea fenrir, tribo com a qual odiava seus membros que abandonaram sua mãe quando mais precisava, o irônico de sua vida era que INgvild era praticamente uma fenrir, tinha ferocidade, era violenta e fanática de forma exacerbada, mas a vida não fez com que se encaminhasse ao arsenal de Gaia, mas sim as protetoras da mãe.

Primeiro contato com o esquadrão se dá pelo Líder, um roedor, Diferente para ela, mas nada que fosse um problema, apesar de ter tido pouco contato com membros dessa tribo, não via problema algum e assim o responde de forma solicita:

-Olá Julian, sou Garras-do-tigre-das-sombras - INgvild estica sua mão para cumprimenta-lo - Sou fúria-negra, cliath, ahroun, impura. Vim aqui encaminhada pelo presas de prata e estou para servir a esquadrão no que precisarem de mim e não bebo cervejas.

Ingvild era falante e gostava de vender sua imagem e assim gostava de se mostrar antes que alguém a julgasse, virando-se para o lado ela também estica seu braço e cumprimenta Cabelinho e logo em seguida Mayra e vai cumprimentando os outros membros da matilha, ao saber que ele era outro roedor ela pensa consigo:

"Outro roedor, uma fianna, andarilhos? realmente diferente esta matilha, quais serão as outras tribos?"

Assim, ela se vê envolta de seus pensamentos e o cumprimenta amistosamente.

-Prazer Cabelinho, Mayra, obrigada pelas boas vindas.

A fúria negra ficara um tanto séria, as vezes não era de muito sorrisos, mas era uma pessoa que gostava de ser um tanto irônica, e percebe a mudança de humor, Ingvild nota e acha interessante e vê que o ragabash era jovem, ela se lembra vagamente de quando era um pouco mais nova e menos despreocupada...

Na verdade ela queria ter essa lembrança, nunca fora despreocupada e inocente.

E por fim ela cumprimenta o último que fala com ela, Dereck, outro andarilhos, e assim ele fala algo que chamou a sua atenção, suplementação, era uma boa nova falar com alguém que possui pontos de vendas.

-Obrigada Dereck, acho que podemos conversar sobre isso, aliás, podemos conversar sobre armamentos também, necessito comprar.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ingrid - Iurd / Edwin

Mensagem  Ingrid Reis em Sex Fev 07, 2014 8:47 am

Ingrid se despede do Guaxinim com um gesto respeitoso e então começa a notar que o grupo começa a se reorganizar e Iurd lança uma pergunta que a Theurge franze a testa e olha para seu irmão de tribo para ver como ele reagiria. Não conhecia nenhum ritual do tipo e comenta com Iurd:

- Nunca ouvi falar em um ritual para fazer algo parecido, Iurd. Sinto muito. Talvez Edwin...


E olha para o seu irmão de tribo para ver se ele tinha uma resposta satisfatória para o Presas de Prata.

_________________
Ingrid Reis - Elo Espiritual
Impura - Athro - Theurge - Uktena - Devoradores de Demônios
Deformidade de Impura -> Propensa à Crueldade
Qualidades -> Magnetismo Animal
Raça Pura 4
Aparência 5
Fúria 2
avatar
Ingrid Reis

Mensagens : 394
Data de inscrição : 28/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Dereck (hominideo) - MuléMacho

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 8:52 am

O galliard abre um sorriso maroto e responde tranquilamente...

- Convencional ou Militar? Seja o que for... dá-se um jeito de descobrir...

A Fúria pode ver um lampejo azulado no rosto do galliard quase que imperceptível...!

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [CAERN] Clareira Central

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 8:57 am

A fúria negra realmente queria armas, se pudesse montaria um arsenal pessoal e ainda tinha que ver casa, moraria, local para poder ter como um refúgio, passar dias sozinha sem que fosse junto com a sua matilha. A Fúria gostava da solidão e prezava por ser solitária.

-o que tiver melhor para oferecer, seja militar ou não. Não quero me limitar a poucos modelos -INgvild divaga um pouco envolta em seus pensamentos - Aliás, se me ajudar com a minha adaptação ao Brasil, posso te recompensar, poderia ser um consultor e me ajudar, o que acha andarilho?

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Dereck (hominideo) - Paraíba Masculina/Roni Wisley

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 9:25 am

- Isso é fácil.

O garou tira um cartão e entrega para ela.

- Manda um e-mail pra mim. Coloque tudo o que você precisa, esquece de nada não, e eu vou fazer uma pesquisa refinada pra você.

Quando ela pega o cartão ele segura por um instante e fala...

- Tudo o que vc precisar.

E então solta o cartão e volta a atenção para Cabelinho de Fogo...

- E vc guri, precisa de alguma coisa ou já tem idade pra comprar aquelas revistas sem que o jornaleiro te sacaneie?

Fala rindo de forma relaxada pro garoto pra ele saber que tava tudo na base da boa e velha sacanagem.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Guardião - Esquadrão da Fúria

Mensagem  Convidado em Sex Fev 07, 2014 11:29 am

Dimas nota que muitos membros da Esquadrão da Fúria traziam olhares sofridos e percebe que a vida realmente pode ser muito dura para os Escolhidos de Gaia. Ele ouve o discurso de Esquecido e se enche de orgulho da Nação. Era realmente inspirador, além de ser muito esclarecedor. Talvez o lado lobo do Filho de Gaia estava falando mais alto, ter um líder da matilha faziam as coisas parecer mais no eixo. Então Mayra começa a falar e Dimas percebe um ligeiro pesar nas palavras da ruiva que se diz ex-beta da matilha. Por que ex? Ele se indaga. Ferida do Vento também trazia um quê de desesperança estampado no rosto, mas Dimas mal o conhecia e não sabia o que pensar sobre isso.

Diante da pergunta que Cabelinho havia feito para ele, ele responde:

_Não conheço bem ainda nosso Totem, mas se não me engano, você deve sempre mostrar coragem e ela vai continuar te abençoando.

A pergunta de Cabelinho e a Matilha que estava conversando com o Texugo mais adiante fazem com que Dimas se lembre de que ainda não fora apresentado à Doninha. Então, aproveitando-se da conversa paralela que surge entre o Andarilho do Asfalto e a Fúria Negra, Dimas se aproxima de Mayra e Kor e diz:

_Voz de Taranis, sei que vocês passaram e estão passando por muitas coisas. Sei que a Esquadrão da Fúria acabou de perder muitos irmãos valiosos e ainda é muito cedo para pedir que vocês sigam adiante. Só quero dizer que a gente não tá aqui para substituir ninguém, estamos aqui para continuar com a tarefa que Gaia designou para a Matilha. Somos muitos agora, cada um com sua história e cada um com necessidades diferentes - faz uma leve menção para Cabelinho de Fogo - Não entendi o porquê de você se chamar de ex-beta, a não ser que Ferida do Vento seja o Beta original. Mas nosso líder acaba de dizer que quando voltar, já sairemos para a missão.

Ele pára um pouco como que pesando as próximas palavras e continua:

_Mas ainda não somos uma matilha por completo. Precisamos receber as bênçãos do nosso Totem e quando nosso elo espiritual estiver consolidado, agiremos e pensaremos como um. Se a senhora me permitir, eu posso chamar a Doninha para que ela decida se nos aceita e para que ela nos abençoe. Quando a gente estiver unido sob a tarefa da matilha e sob as bençãos do Totem, talvez você sinta com mais força que pode dividir seu fardo com a gente.

Ele diz a última frase colocando a mão sobre o ombro direito da Fianna. Havia um tom reconfortante nas palavras do Theurge. Mayra sabia que a preocupação era verdadeira.

-------

http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com/viewtopic.forum?t=348

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [CAERN] Clareira Central

Mensagem  Narrador em Qua Abr 23, 2014 7:50 am

avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 5110
Data de inscrição : 27/01/2013
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://segredosdoapocalipse.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [CAERN] Clareira Central

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 40 de 40 Anterior  1 ... 21 ... 38, 39, 40

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum